Polo Araguaia participa da ‘Semana Nacional do Excepcional’ na APAE de Mineiros

06/09/2013

Cultura, brincadeiras e muita informação. Assim foi marcada a „Semana Nacional do Excepcional‟ e os 30 anos da APAE de Mineiros, comemorado entre os dias 21 a 29 de agosto. Além de exposição de fotos, brincadeiras e teatrinho para as crianças e adolescentes, o evento também contou com informação sobre saúde, leis trabalhistas e processos de recrutamento para os pais e responsáveis por quase 30 jovens que frequentam a instituição.

No último dia de evento estiveram presentes Ana Claudia Sarra, responsável pelo recrutamento e seleção da unidade Morro Vermelho, Kelly Bessa, área de Comunicação e Projetos Sociais (MV) e Jerônimo Dias de Jesus, auxiliar administrativo da Unidade Água Emendada que relatou o seu processo de contratação dentro do Polo Araguaia.

“Primeiro eu fiz contato com o P&O e eles me orientaram quais os procedimentos que eu deveria realizar. Fiz a seleção e hoje sou muito feliz trabalhando na área administrativa. Assim como eu, seus filhos serão tratados com muita dignidade, respeito e parceria. A cultura da empresa preza muito pela segurança e principalmente pelas pessoas. Se temos limitações alguém sempre está disposto a apoiar”, ressaltou Jerônimo.

Para Sueli Souza Vilela, assistente social da APAE, ainda existe uma resistência grande dos pais em deixar os filhos trabalhar fora das instituições por várias razões, uma delas é o benefício que eles recebem. “Além da proteção, os pais ainda acreditam que é melhor manter o filho por perto, controlar a situação ao deixá-lo participar de outras experiências. O medo que alguém possa maltratar ou até mesmo perder o benefício do governo ainda é muito grande”, explica Sueli.
 
Para as famílias que marcaram presença, o encontro trouxe mais segurança e esclarecimentos, proporcionando esperança em jovens que desejam entrar no mercado de trabalho. “Minha filha está concluindo o ensino médio e quer muito trabalhar. Apesar dela ter limitações é importante ela ter independência financeira e levar também uma vida normal. Vou pedir a APAE para providenciar o currículo dela e entregar na Odebrecht Agroindustrial”, disse dona Juramir Silva Ferreira, mãe de Maria Aparecida Silva Ferreira, 19 anos, que não perdeu tempo e já entregou seu currículo.