Odebrecht Agroindustrial amplia investimento em pessoas

12/12/2013

A Odebrecht Agroindustrial reafirma seu compromisso com o desenvolvimento de seus mais de 16 mil Integrantes. A empresa projeta investir na próxima safra, 2014-2015, mais de R$ 6 milhões em programas de capacitação. Entre abril e dezembro deste ano, já foram aplicados cerca de R$ 4 milhões.
 
Para estimular cada vez mais a qualificação profissional, a empresa formalizou nesta quarta-feira, dia 11, em Brasília, o acordo de cliente de base nacional do Sistema Indústria. A solenidade de assinatura teve como representante da Odebrecht Agroindustrial o Vice-Presidente de Pessoas, Sustentabilidade e Comunicação, Genésio Lemos Couto, e como representante do Sistema Indústria o Diretor Geral do SENAI e SESI e Diretor de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Rafael Lucchesi.
 
De acordo com Genésio Lemos Couto, esse importante passo fortalece a parceria com o Sistema Indústria. Conforme explica ele, será mantido o relacionamento estreito com os diretórios regionais do SENAI nos quatro Estados em que a empresa está presente – São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. A diferença é que agora a empresa passa a utilizar o catálogo nacional de capacitação. “Queremos ampliar, cada vez mais, a qualificação dos nossos Integrantes”, afirma.
 
A Odebrecht Agroindustrial tem uma ampla parceria com o Sistema Indústria. Neste ano, foi a empresa brasileira que firmou com a entidade a maior pactuação de demandas pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). No total, são mil vagas pactuadas, divididas em 59 turmas. Apenas em Mato Grosso do Sul, a quantidade de vagas para os Integrantes da Odebrecht Agroindustrial representa 47% de toda a oferta para o Estado.
 
Segundo Rafael Lucchesi, o investimento do setor de bioenergia em programas de qualificação é fundamental para o desenvolvimento da atividade. “É um setor importante para a economia do país e, portanto, devemos ampliar a oferta de educação profissional”, afirma.